03 agosto 2010

Tessituras em Goiás




“Feliz aquele que transfere o que sabe 
e aprende o que ensina." 
Cora Coralina


Cora Coralina foi uma grande escritora brasileira, e publicou seu primeiro livro aos 76 anos de idade!!! Mulher simples, doceira de profissão, viveu longe da cidade grande e produziu uma obra poética rica em motivos do cotidiano do interior brasileiro, em particular dos becos e ruas históricas de Goiás (wiki). 


"Nada do que vivemos tem sentido,
se não tocarmos o coração das pessoas
."
Cora Coralina

Pois é, eu em minhas andanças pelo mundo acabei parando... no jardim da Cora Coralina! E aproveitei para descobrir um pouco do universo desta linda mulher e passar um pouquinho desta magia para vocês.

"O que importa na vida não é o ponto de partida, mas a caminhada.
Caminhando e semeando, no fim terás o que colher"

Cora Coralina


Cora Coralina nasceu Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, na cidade de Goiás, em 1889. Cursou apenas as primeiras 4 séries, mas começou a escrever poesia aos 14 anos de idade. Passou grande parte de sua vida longe de sua terra natal. 

"Fiz a escalada da montanha da vida removendo pedras e plantando flores." Cora Coralina

Casou, criou os filhos. Ao completar cinquenta anos de idade, Cora relata ter passado por uma profunda transformação interior, a qual definiria mais tarde como "a perda do medo". Deixou de atender pelo nome de batismo e assumiu o pseudônimo que escolhera para si muitos anos atrás, Cora Coralina.

"O saber a gente aprende com os mestres e com os livros.
A sabedoria, se aprende é com a vida e com os humildes."

Cora Coralina



Nascida em uma época em que os direitos da mulher eram muito restritos, Cora escrevia escondida! Revelou ao seu esposo que era Cora Coralina, aquela mulher que publicava poemas nos jornais, apenas no fim de sua vida.

"Poeta, não é somente o que escreve.
É aquele que sente a poesia, se extasia sensível ao achado de uma rima à autenticidade de um verso."
Cora Coralina



Viúva, com os filhos criados, um belo dia largou tudo e voltou para a casa onde nascera, a Casa da Ponte, hoje em dia o museu Cora Coralina. Passou o resto da vida fazendo o que bem queria: doces, livros e poesia. Seu talento foi reconhecido nacionalmente.

***



Lá em Goiás também conheci a Milena, que com o Projeto Cabocla - Bordando Cidadania, cria peças belíssimas com algodão cru, usando croche nos acabamentos e bordando a natureza do cerrado, os casarões da cidade e... poesia.
Milena Curado

Mas a Milena não trabalha sozinha. Ela conta com a mão de obra das detentas da cidade de Goiás (clique na imagem abaixo para saber mais informações sobre o projeto)

Projeto Cabocla

Este projeto sustentável mudou a vida de muitas mulheres e suas famílias, permitindo a inserção no mercado de trabalho, o retorno da auto-estima, a sustentabilidade e em alguns casos até a redução da pena. Um exemplo para todos nós.


Projeto Cabocla

Projeto Cabocla

Projeto Cabocla

A loja do Projeto Cabocla fica na Galeria Conde dos Arcos, Praça do Coreto, Cidade de Goiás. O telefone é (62) 8436-0916, e o e-mail caboclacriacoes@hotmail.com (mais informações neste link).




***


Taí, dois grandes exemplos que encontrei em meus caminhos: Cora, que transformou-se poeta quase no fim da vida, revelando a beleza das coisas mais simples e Milena, que transformou sofrimento em dignidade. Não tem idade, nem hora, nem ninguém para dizer quando devemos começar a embelezar a vida.


Bjs e depois eu volto... mas deixo com vocês mais um poema de Cora Coralina:




Se temos de esperar,
que seja para colher a semente boa
que lançamos hoje no solo da vida. 

Se for para semear,
então que seja para produzir
milhões de sorrisos,
de solidariedade e amizade.




Compartilhar